20º Aniversário do Docomomo Turquia

O Docomomo Brasil convida a todxs para celebrar o 20º aniversário do Docomomo Turquia, com um evento online no dia 6 de março de 2022, o dia de sua fundação. Será apresentado um trabalho de conservação do patrimônio arquitetônico moderno que tem sido internacionalmente bem sucedido.

(mais…)

Anais do 14° Seminário Docomomo Brasil – Belém (2021)

Anais do XIV Seminário Docomomo Brasil
Belém, 27 a 29 de outubro de 2021 (EVENTO ONLINE)

Tema: 
O MODERNO EM MOVIMENTO: USOS, REUSOS, NOVAS CARTOGRAFIAS.
Presente e futuro do legado da arquitetura moderna no Brasil

(mais…)

14º Seminário Docomomo – Belém PA


 

UIA 2021 RIO – Congresso Mundial de Arquitetos

O 27º Congresso Mundial de Arquitetos será realizado fisicamente no Rio de Janeiro, entre os dias 18 e 22 de julho de 2021.

E, em versão digital, terá início em março, com as primeiras conferências virtuais. O evento presencial de julho será também transmitido digitalmente para o mundo todo. As inscrições para a participação virtual ainda estão abertas.

Para mais informações acesse o site: https://www.uia2021rio.archi/

Promovido pela União Internacional de Arquitetos (UIA) desde 1948, o Congresso Mundial de Arquitetos ocorrerá pela primeira vez no Brasil.
Trata-se de um fórum privilegiado para profissionais e futuros líderes na arquitetura e em área afins. Um evento que debaterá o futuro das cidades e a cidade do futuro.
Os mais expoentes nomes da arquitetura e do urbanismo estarão reunidos para analisar o panorama global e questões locais, formular propostas e apresentar soluções para melhoria da qualidade de vida, em um mundo mais justo e sustentável.

14° Seminário Docomomo Brasil em Belém do Pará

A Universidade Federal do Pará, o Programa de Pós graduação em Arquitetura e Urbanismo (PPGAU), a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, e os laboratorios de Historiografia da Arquitetura e Cultura Arquitetônica (LAHCA) e de Memória e Patrimônio Cultural (LAMEMO), e o Núcleo Docomomo_PA, têm a satisfação de apresentar e convidar a todos a participarem do 14o Seminário Docomomo Brasil, que será realizado em Belém do Pará, entre os dias 27 e 29 de outubro de 2021.

Coordenação Geral:
Profas. Celma Chaves e Cybelle Miranda

Tema: O MODERNO EM MOVIMENTO: USOS, REUSOS, NOVAS CARTOGRAFIAS. Presente e futuro do legado da arquitetura moderna no Brasil

As transformações pelas quais passam o planeta atualmente, envolvendo todo o globo e todas suas manifestações de vida e seus hábitats, entre eles, as construções realizadas para as mais diversas atividades humanas, nos colocam dilemas e indagações. Diante de uma pandemia global, é natural que nós, arquitetas e arquitetos, e os demais atores ligados à produção dos espaços, nos perguntemos: qual será o futuro da arquitetura e da cidade? O que teremos que mudar para nos adequarmos à necessidade de novos padrões de concepção e execução de obras de arquitetura, de espaços públicos, e de intervenções, entre elas, nas obras da arquitetura moderna?

Ao considerar a arquitetura como uma ação em que se integram diferentes níveis de atuação do homem no mundo, é imperioso que esses níveis se abram às perspectivas que, na atualidade, impactam as condições de vida dos homens como seres habitantes do planeta.

Nessa direção, faz-se necessário recuperar as digressões pertinentes dos diversos
divulgadores, promotores e pensadores do movimento moderno.
Os princípios formulados pelos arquitetos que compunham o movimento moderno, ressoam, por um lado, com as necessidades de retorno a uma cidade saudável, ainda que com uma ruptura radical com o lugar. Por outro lado, é fundamental analisar as casas modernas se queremos entender a arquitetura da modernidade. Tanto a casa como a cidade no movimento moderno operaram com um sentido além de suas “funções”: era preciso ser refúgio, mas também ponto de partida para as ações do homem no mundo. Habitar, mas também como diria Le Corbusier quando mencionava a instituição pública, era não apenas uma função privada, mas um prolongamento da casa, pois o homem não habita apenas sua própria casa,
mas também habita quando participa em uma comunidade e a instituição torna possível essa participação.

Em que pese as críticas de que o movimento moderno repudiava a natureza, a história e a cidade em prol da máquina, é visível o pensamento integrador entre arquitetura e natureza em obras como a Falling Water de Frank Lloyd Wright, ou a Villa Mairea de Alvar Aalto, ou as torres de Rogelio Salmona em Bogotá. Mas não apenas nos edifícios estão essas ligações, Brasília é um exemplo da interação arquitetura-cidade e natureza.

No atual contexto de revisão de paradigmas e reconhecimento de alternativas filosóficas e construtivas em prol de uma arquitetura humanizada, a abordagem do edifício em conciliação com seu entorno faz-se primordial, especialmente na relação com a paisagem, em que incidem elementos naturais, componentes sociais e culturais. Nessa perspectiva, tipologias diversas que compõem os conjuntos de edifícios do movimento moderno, como os hospitais, oferecem um desafio maior para sua compreensão enquanto fator de modernização na assistência à saúde, em face das constantes reformas por que passam suas instalações, sendo colocados em cheque aspectos como salubridade, sustentabilidade de gestão e reconhecimento de detalhes técnicos que possam lhes conferir identidade.

O projeto cultural e também social, foram fundamentos do movimento moderno como bem nos apontou Anatole Kopp, a causa moderna estava além da estilística ou da forma às quais o moderno passou a ser identificado ao longo do tempo. As mudanças sociais, culturais e políticas pelas quais os países estavam passando nas primeiras décadas do século XX instaram os arquitetos a realizarem novas propostas de espaços de morar, de trabalhar, de atividades de ócio, espaços de saúde etc. Nesse sentido, é evidente a importância dos aspectos relacionados não somente à natureza como ambiente físico, mas também à perspectiva em agregar a essa natureza os valores imprescindíveis para uma melhor vida humana nos espaços
inventados pelo homem, que na história recente da humanidade se perderam por ações nocivas às variadas biodiversidades inerentes aos meios físicos.

Passados mais de um século da irrupção das ideias modernas, e dadas as notáveis
transformações que o planeta vem atravessando nas últimas décadas, é indiscutível a importância de se retomar os princípios sobre os quais a ideia de um moderno hegemônico se desenvolveu. A noção do conhecimento do passado precisa ser repensada juntamente com uma revisão historiográfica a partir de outras visadas. Uma delas é a interpretação do passado, que embora como fato não possa ser modificado, a visão desse passado sim, na ampla acepção que Marc Bloch nos apresenta: um passado como estrutura em constante movimento.

Nesse sentido, o Docomomo 2021 que será sediado em Belém do Pará, na região amazônica brasileira, território que vem sendo impactado por diversas agressões ao seu meio físico e suas populações, como os desmatamentos, os incêndios e apagões elétricos, e as respostas ineficazes ou inexistentes aos recorrentes problemas sociais como a moradia e suas infraestruturas, nos desafia a pensar respostas a um presente em que ambiente e humanidade correm sérios riscos de destruições irreversíveis. Essas questões demandam respostas urgentes para qualificar o espaço das cidades e seu ambiente construído, incluindo repúdio ao apagamento da historia e da memória local.

Convém apontar também a diversidade da arquitetura moderna em um país continental como o Brasil, que apresenta um panorama heterogêneo e rico, porém ainda de pouca visibilidade, especialmente nas regiões onde a produção dessa arquitetura se deu por razões fora da
causalidade industrialização e progressismo, mas que foi decorrência de tramas complexas que compõem a realidade local. Assim, faz-se necessário em um evento de abrangência nacional, escutar outras vozes que nos possibilitam ter um panorama mais inclusivo e rico.

Considerar as questões aqui enunciadas significa revisitar a arquitetura do movimento moderno sob uma perspectiva que inclua os distintos olhares sobre ela e seus fundamentos. Novas possibilidades de pensar o presente e o futuro dessa arquitetura, e formular novas ideias baseadas nas experiências do movimento moderno e seu legado, requer recuperar concepções que estejam de acordo com as necessidades apresentada pela sociedade hoje. Isso nos leva a refletir acerca dos (novos) usos dos edifícios da arquitetura moderna.

Observam-se constantemente intervenções que quase sempre alteram as linhas originais dessas obras, afetando seu valor patrimonial e apagando sua memória e história. É inegável a transformação do património no curso da história que se adaptem aos novos usos e expectativas sociais, porém é imprescindível a atenção aos processos que contribuem à sua valoração ou à negação de sua concepção moderna.

Para contemplar tais questões aqui apresentadas, o seminário propõe 04 eixos temáticos:

1. A arquitetura moderna, cultura e natureza.
Este eixo temático acolherá trabalhos que abordem a natureza na sua relação com o espaço construído em suas várias escalas; experiências de projeto ou de pesquisa que contemplem o sentido da arquitetura moderna e sua interface com a questão da sustentabilidade; a arquitetura moderna como expressão de culturas.

2. Documentar. Preservar. Conservar. O patrimônio moderno e seus usos e reusos.
Esperam-se trabalhos que abordem os processos de documentação, preservação e
conservação de obras da arquitetura moderna em seu amplo sentido; registros e acesso aos acervos do patrimônio moderno; práticas de construções e intervenções no existente;

3. Novas cartografias e cronologias da arquitetura e do urbanismo modernos no Brasil. Este eixo acolhe trabalhos que enfocam a historiografia da arquitetura e do urbanismo modernos no Brasil, contemplando as variadas expressões da arquitetura moderna, deslocando e ampliando as geografias e as cronologias até então usuais na historiografia;

4. Espaços modernos e os novos desafios técnicos, ecológicos e sociais do legado da arquitetura moderna. Este eixo acolhe trabalhos que tratem dos diferentes espaços modernos que abrigam usos em áreas educacionais, da saúde, institucionais, e os desafios para sua permanência, considerando-se fatores como qualidade e sustentabilidade.

CRONOGRAMA DA CHAMADA DE TRABALHOS
Data da realização do seminario: 27, 28 e 29 de outubro de 2021

Local: Belém – Universidade Federal do Pará – Programa de Pós graduação em Arquitetura e Urbanismo

Data limite para envio de artigos completos: 31/05/2021

O artigo deverá conter entre 4000 e 6000 palavras, de acordo com o template a ser divulgado proximamente no site do evento. Cada autor poderá participar em no máximo dois artigos. Cada artigo deverá ter no máximo três autores

Postêres para alunos de graduação: cronograma a ser definido.
E-mail para contato: docomomobr14@gmail.com

Palestras 7º Seminário Docomomo São Paulo

Gostaríamos de informar que os vídeos de todas as atividades desenvolvidas durante a semana de 9-13/2020 no 7º Seminário Docomomo São Paulo estão disponíveis no canal Youtube do Núcleo Docomomo São Paulo.
O link para os mesmos pode ser encontrado no sítio do Núcleo Docomomo São Paulo, dentro do 7º Seminário Docomomo São Paulo, na aba de “gravações”:
Voltamos a agradecer a colaboração e esperamos contar com vocês em futuras edições.
Atenciosamente
Fernando G. Vázquez Ramos
Comissão Organizadora
7º Seminário Docomomo São Paulo
Núcleo Docomomo São Paulo

FAUENCONTRO – FEMINISMO E ARQUITETURA com Susana Torre

Participe do FAUENCONTRO do dia 11 de novembro, das 9h às 11h, pelo link:

SUSANA TORRE é argentina (1944), arquiteta formada na Universidad de la Plata e Universidad de Buenos Aires. Atuante nos Estados Unidos entre 1968 a 2008 na State University of New York, Cranbrook Academy of Art (da qual foi diretora), Parsons School of Design e Columbia University, tendo lecionado também na Yale University, New York University, University of Sydney, Kassel University, e na Universidad de Buenos Aires. Foi cofundadora do Archive of Women in Architeture na Architectural League of New York e pioneira nos estudos sobre o Feminismo e Arquitetura, com a curadoria e catálogo, no Brooklin Museum, em 1977, da exposição Women in American Architecture: a Historic and Contemporary Perspective. Foi cofundadora da revista Heresies, A Feminist Journal on Art and Politics e participou de várias publicações sobre o tema.

Arquitetura e Transculturação: conexões transatlânticas | 2020 #5

O evento Arquitetura e Transculturação: conexões transatlânticas | 2020 é uma iniciativa do LoCAU (Laboratório de Crítica em Arquitetura, Urbanismo e Urbanização)  e, nesta edição, em parceria com o Doutoramento em Arquitectura e o CITUA (Center for Innovation in Territory, Urbanism, and Architecture) do Instituto Superior Técnico da Universidade de Lisboa (IST-UL), a fim de promover e divulgar o debate sobre a temática da transculturação em Arquitetura e Urbanismo entre Brasil, Europa e África.

Serão cinco Webinários, com palestrantes do Brasil, Europa e África

Às quintas-feiras entre 30|07 e 27|08
às 18h (Horário de Brasília)

Webinário #5
ARQUITETURA NO CONTEXTO AFRICANO: ANGOLA E CABO VERDE
27 de agosto de 2020 às 18h (Horário de Brasília)

RESPONDENDO A CONTEXTOS, CRIANDO IDENTIDADES
Helder Pereira
MDF Barch BBltEnv
Co-fundador Atelier Mulemba | Luanda | Angola

ARQUITETURA ATLÂNTICA: Identidade ou Consequência?
Beker de Sousa
Arquiteto e Urbanista pela  UFC – Brasil
Mestrado e-learning da ZIGURAT | Barcelona
Colaborador da JS-CV Construções e Investimentos em Cabo verde e Angola
Consultor da empresa CETURBE no âmbito de
Planeamento Urbano em Cabo Verde

O evento será transmitido pelo Canal do Youtube do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo e Design da Universidade Federal do Ceará (PPGAU+D-UFC) no link: https://www.youtube.com/watch?v=qk_aZG3N4qE
A gravação do Webinário ficará disponível no Canal do Youtube do PPGAU+D.

Ao final de cada Webinário será disponibilizado um link para um formulário de avaliação do evento. Serão emitidos certificados para os palestrantes e participantes.

Arquitetura e Transculturação: conexões transatlânticas | 2020 #4

 

 

O evento Arquitetura e Transculturação: conexões transatlânticas | 2020 é uma iniciativa do LoCAU (Laboratório de Crítica em Arquitetura, Urbanismo e Urbanização)  e, nesta edição, em parceria com o Doutoramento em Arquitectura e o CITUA (Center for Innovation in Territory, Urbanism, and Architecture) do Instituto Superior Técnico da Universidade de Lisboa (IST-UL), a fim de promover e divulgar o debate sobre a temática da transculturação em Arquitetura e Urbanismo entre Brasil, Europa e África.

 

Serão cinco webinários, com palestrantes do Brasil, Europa e África

 

Às quintas-feiras entre 30|07 e 27|08

às 18h (Horário de Brasília)

 

Webinário #4

HISTÓRIA, ARQUITETURA E ESTADO: BRASIL, ITÁLIA E PORTUGAL

20 de agosto de 2020 às 18h (Horário de Brasília)

 

 

ARQUITECTURA DAS OBRAS PÚBLICAS DO ESTADO: Relação entre Itália e Portugal

Elisa Pegorin

 

Arquiteta pelo Instituto Universitario di Architettura di Venezia

Doutora em Arquitectura pela Faculdade de Arquitectura

da Universidade do Porto – FAUP

Membro do Centro de Estudos de Arquitectura e Urbanismo CEAU – FAUP

Membro do CITUA – IST-UL

 

 

ARQUITETURA, ESTADO E OBRAS HÍDRICAS ENTRE BRASIL E PORTUGAL

Marcus Vinicius Dantas de Queiroz

Arquiteto e Urbanista pela UFPB

Mestre e Doutor pela USP, com período sanduíche na

Faculdade de Arquitetura da Universidade de Lisboa

 

Professor da UFCG

Membro dos grupos de pesquisa ESTÚDIA

Estudos Integrados em Arquitetura| (UFCG) e Patrimônio, Cidades e Territórios (IAU/USP)

 

O evento será transmitido pelo Canal do Youtube do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo e Design da Universidade Federal do Ceará (PPGAU+D-UFC) no link: https://www.youtube.com/watch?v=mTwaBl9FfrE

 

 

Ao final de cada Webinário será disponibilizado um link para um formulário de avaliação do evento. Serão emitidos certificados para os palestrantes e participantes.

7º Seminário Docomomo São Paulo

Prezadas e Prezados colegas

O Núcleo Docomomo São Paulo e o Programa de Pós-graduação stricto sensu em Arquitetura e Urbanismo da Universidade São Judas Tadeu convidam para participar no 7º Seminário Docomomo São Paulo, evento online que acontecerá de 09 a 14 de novembro de 2020.
Em anexo encaminhamos o fôlder com as informações gerais, que também poderão ser encontradas no sítio do Núcleo Docomomo São Paulo:
Ou através do e-mail do Núcleo: nucelo.docomomo.sp@gmail.com
As informações também poderão ser acessadas pelas redes sociais:
Instagram: docomomo.sp
Facebook: Núcleo Docomomo-SP
Inscrições pelo sítio do Even3, através da página do evento:
Atenciosamente,
Comissão Organizadora
7º Seminário Docomomo São Paulo
Núcleo Docomomo São Paulo
Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo
Universidade São Judas Tadeu

Três casas de Paulo Mendes da Rocha – palestrante Hugo Segawa – via Zoom

Três casas de Paulo Mendes da Rocha

Data: 18 de junho de 2020

Hora: 6:00 pm CCS Time (GMT – 4)

Palestrante: Hugo Segawa

Moderadores: Hannia Gomez  l  Frank Alcock

Este ciclo é organizado pelo Centro Cultural e Docomomo Venezuela e terá lugar todas as quintas de 11 de junho a 2 de julho de 200, às 6:00 h CCS Time (GMT-4 )
Inscrições: https://trasnochocultural.com/

Até agora, a melhor vacina para prevenir o contágio foi criada por arquitetos: a casa
Docomomo International.

Docomomo Venezuela, tem o prazer de convidá-los para a conversa “Três casas de Paulo Mendes da Rocha” a ser proferida por Hugo Segawa no âmbito do ciclo online roxas + olhares: uma nova primavera para a casa moderna, organizada conjuntamente com o Trasnocho Cultural ..
Nestes tempos, a casa é mais do que nunca nosso mundo comprimido. A casa agora é nossa cidade. Depois de ter se tornado a principal fortaleza e refúgio para a sobrevivência do homem, os temas da casa moderna voltam, numa nova e inesperada primavera, unidos às aspirações da arquitetura contemporânea, como medicina para o corpo e para a alma. A casa moderna e suas epopeias projetuais, suas poéticas e sua resposta à higiene, ao clima, ao local, à arte, à técnica, às formas de viver, e hoje, às exigências do mundo pós-pandemia.

Hugo Segawa oferecerá suas reflexões sobre uma trilogia de casas modernas que falam com seu coração neste momento: três casas do arquiteto Paulo Mendes da Rocha (Vitória, Espírito Santo, Brasil, 1928). Primeiro, “uma grande casa dos anos 70 projetada para o dono da galeria de arte”; depois, “uma casa para um engenheiro construído no final dos anos 80 com vigas pré-moldadas de betão, dentro do típico espírito da industrialização moderna” e finalmente “uma terceira pequena casa, já demolida, para um artista plástico, também dos anos 1970”. Casas onde “chama a atenção uma certa radicalidade na compartimentação dos espaços, como uma dissolução do modo de viver nas casas chamadas ‘burguesas'”. Um novo tipo de “fortaleza”.

Hugo Segawa é arquiteto, professor da FAU USP – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, membro do Observatório da Arquitetura Contemporânea Latino-Americana. Foi Coordenador de Docomomo Brasil entre 2003 e 2008 e membro do Advisory Board da Docomomo International entre 2004 e 2008. Tem várias obras publicadas nos Estados Unidos sobre a arquitetura do Brasil e em Espanha com a editorial Gustavo Gili sobre arquitetura latino-americana.

Arquitetos Hannia Gomez e Frank Alcock são Presidente e Vice Presidente da Docomomo Venezuela, respectivamente.

A fundação Docomomo Venezuela é o grupo de trabalho oficial da Venezuela para a DOcumentação e COnservação internacional de edifícios, sites e bairros do MOvimento MOderno.

16th Docomomo International Conference adiado para 2021!

Docomomo Japão e Docomomo International juntos lamentavelmente chegaram a decisão de adiar a conferência de 2020 por um ano.

A equipe continua a monitorar cuidadosamente a situação para definir uma nova data para a conferência. Caso você já saiba que não poderá participar do evento em 2021 – apresentando um trabalho oral, pôster ou mesmo como ouvinte – por favor nos informe até o dia 31 de maio de 2020 pelo e-mail info@docomomo2020.com

4o CATS Cataguases: inscrições abertas!

Encontram-se abertas as inscrições para a quarta edição do Congresso de Arquitetura, Turismo e Sustentabilidade – CATS Cataguases, que vai reunir centenas de profissionais, estudantes, pesquisadores e público em geral para debaterem sobre a preservação do patrimônio histórico. O congresso vai ocorrer entre os dias 27 e 30 de Setembro de 2018. As inscrições para apresentação de trabalhos acadêmicos se encerraram em 10 de Agosto de 2018.

O encontro, cujo tema será “Plano Diretor: desafio para cidades de pequeno porte“, constará de palestras, mesas-redondas, sessões de comunicação, oficinas de capacitação, cursos e visitas guiadas aos bens tombados.

O congresso tem por objetivo criar em Cataguases um polo de encontro e de discussão sobre a preservação do patrimônio edificado na cidade. Segundo Elisabete Kropf, empreendedora do evento, o intuito é apresentar a todos os participantes a importância da arquitetura e da arte moderna, marcos que identificam a cidade, criados entre as décadas de 1940 e 1950.

O Congresso é destinado a estudantes de graduação e pós-graduação, profissionais, estudiosos, pesquisadores e professores das diferentes áreas de conhecimento que são afins aos campos arquitetônico e turístico, enfocando em especial a categoria da sustentabilidade. Também é aberto para participação de professores e alunos dos Ensinos Fundamental e Médio e gestores municipais.

O 4º CATS – 2018 é uma realização do Ministério da Cultura. Patrocínio da Bauminas através da Lei Federal de Incentivo à Cultura. Apoio da Fundação Ormeu Junqueira Botelho, Energisa, Centro Cultural Sicoob Coopemata, Sicoob Coopemata, FIC e Fundação Simão José Silva.

Para maiores informações, clique aqui

1° DOCOMOMO | CE – Seminário de Documentação e Conservação do Movimento Moderno no Ceará

 

 

 

 

 

O NÚCLEO DOCOMOMO CEARÁ, chancelado pelo Departamento de Arquitetura e Urbanismo (DAU) e o Programa de Pós Graduação em Arquitetura e Urbanismo e Design (PPGAU+D) da Universidade Federal do Ceará (UFC) realizou o 1° DOCOMOMO|CE – Seminário de Documentação e Conservação do Movimento Moderno no Ceará – na cidade de Fortaleza, de 27 de fevereiro a 01 de março de 2018 com a temática “Intervenção e Preservação da Arquitetura Moderna no Ceará: ações e desafios”.

O DOCOMOMO (sigla referente a International Working Party for Documentation and Conservation of Buildings, Sites and Neigbourhoods of Modern Movement) é uma organização internacional, atenta à documentação e conservação da Arquitetura Moderna no mundo. Anualmente – em reuniões internacionais, nacionais e regionais – arquitetos, urbanistas e historiadores debatem sobre os princípios modernistas e a sua permanência na atualidade.
O propósito do 1° Seminário de Documentação e Conservação do Movimento Moderno no Ceará foi estimular e contribuir para o intercâmbio de estudos, pesquisas e experiências de intervenção no processo de documentação e conservação do patrimônio edificado modernista no Ceará, enfatizando as ações e os desafios da preservação deste acervo.
O evento teve uma programação bastante diversificada e com a participação de docentes, arquitetos e urbanistas, estudantes de diversas instituições de ensino e preservação do patrimônio. Destaque para a palestra de abertura denominada “Conservação da Arquitetura Moderna: desafios e ações”, proferida pelo Prof. Dr. Fernando Moreira Diniz – DAU-MDU-UFPE, a mesa redonda “O Papel do Estado na Preservação da Arquitetura Moderna”, com a participação do Prof. Romeu Duarte Jr (DAU-PPGAU+D-UFC); do arquiteto Alexandre Jacó (Representante do IPHAN), do Secretário de Cultura Fabiano Piúba (SECULT-CE) e da Paola Braga (Representante da SECULT-FOR), do Lançamento do Livro “Projeto, Obra, Uso e Memória: a intervenção no patrimônio modernista no Norte e Nordeste”, organizado pelos Professores Clovis Jucá e Ricardo Paiva, além da mesa “Conversa com os mestres”, com a presença ilustre dos Professores Eméritos da UFC José Liberal de Castro e José Neudson Braga.
A programação do evento contou com apresentações orais de professores da UFC e UNIFOR e de alunos do PPGAU+D, distribuídas em quatros sessões: Trajetórias Profissionais; Inventário e Tombamento da Arquitetura Moderna; Preservação, Intervenções e Dinâmicas Contemporâneas e Tipologias Modernas. Os resultados das comunicações e debates deverão ser reunidos em uma coletânea de artigos e publicados como e-book.
O debate promovido pelo evento foi bastante profícuo e para efeito de sua divulgação e alcance para a sociedade, uma vez que se trata de uma ação extensionista do DAU-UFC, foi prevista a produção da “Carta de Fortaleza – Direito à Arquitetura Moderna”, que sintetiza os desdobramentos e encaminhamentos suscitados pelo evento, alinhados ao desiderato do Núcleo DOCOMOMO CEARÁ e do DOCOMOMO Brasil, conforme segue na sequência.

CARTA DE FORTALEZA DIREITO À ARQUITETURA MODERNA
A relevância do 1° DOCOMOMO | CE – SEMINÁRIO DE DOCUMENTAÇÃO E CONSERVAÇÃO DO MOVIMENTO MODERNO NO CEARÁ, realizado pelo Núcleo DOCOMOMO Ceará, se evidencia na necessidade de debater aspectos relativos à teoria, história, crítica, documentação, intervenção e conservação do patrimônio moderno e sua dimensão socioespacial, cultural e histórica na contemporaneidade.
A desvalorização da arquitetura moderna no Brasil e no Ceará se justifica em grande medida pela dinâmica da urbanização contemporânea, que reflete e reproduz a lógica do processo de acumulação atual, identificada com a mercantilização de tudo e a supremacia do “consumo” no/do espaço, acelerando o processo de destruição e (des)construção e comprometendo a permanência dos artefatos urbanos e arquitetônicos de vários tempos passados.
Os dilemas da conservação dos edifícios modernos se manifestam na negação do seu valor cultural e histórico passado e presente, agravado por algumas das tendências da arquitetura contemporânea, que incorporam o efêmero e o fugaz como pressuposto para sua produção, percepção e até mesmo como mote para intervenção no patrimônio moderno.
Neste contexto, com base na temática central do evento “Intervenção e Preservação da Arquitetura Moderna no Ceará: ações e desafios”, serão elencados a seguir objetivos estratégicos fundamentais em defesa do direito à arquitetura moderna.
– Estreitar os vínculos institucionais do Núcleo DOCOMOMO Ceará com os órgãos responsáveis pela preservação do patrimônio edificado no Ceará, como a Superintendência do Ceará do Instituto do Patrimônio Histórico Artístico Nacional – IPHAN, a Secretaria de Cultura do Governo do Estado do Ceará – SECULT-CE e a Secretaria de Cultura da Prefeitura Municipal de Fortaleza – SECULTFOR, além dos conselhos afetos ao assunto, como o Conselho Estadual do Patrimônio – COEPA e o Conselho Municipal de Proteção ao Patrimônio Histórico-Cultural – COMPHIC. Pretende-se articular a produção de inventários e instruções de tombamento de edifícios modernos no Ceará e em Fortaleza, além de outras ações por meio da atuação dos Laboratórios de Pesquisa do DAU-PPGAU+D-UFC (Atelier de Patrimônio Cultural – APC, Laboratório de Crítica em Arquitetura, Urbanismo e Urbanização – LoCAU) e do Curso de Arquitetura e Urbanismo da UNIFOR (Laboratório da Paisagem).
– Articular as ações do Núcleo DOCOMOMO Ceará com o Conselho de Arquitetura e Urbanismo – do Ceará – CAU-CE e o Departamento do Ceará do Instituto dos Arquitetos do Brasil– IAB-CE, preconizando que a preservação da arquitetura moderna constitui uma questão atinente às entidades responsáveis pela prática e política profissionais dos arquitetos e urbanistas.
– Estabelecer convênios com as instituições supracitadas para a captação de recursos para o desenvolvimento de ações e projetos de documentação, conservação e intervenção no patrimônio modernista no Ceará.
– Considerar o campo ampliado relacionado à modernidade arquitetônica no Ceará, admitindo sua amplitude temporal, relacionada à coexistência de diversas expressões da modernidade, como os movimentos proto-racionalistas, proto-modernos e Art Déco, em sua amplitude geográfica, abrangendo todo o Estado do Ceará, bem como as suas variadas escalas e manifestações, valorizando as expressões do urbanismo, da arquitetura, do paisagismo, do design e do mobiliário no contexto da arte moderna.
– Divulgar nos meios de comunicação acadêmicos e públicos em geral, assim como nas mídias digitais, as ações do Núcleo, denunciando situações de ameaças aos conjuntos urbanísticos, paisagísticos e arquitetônicos modernos.
– Promover a integração dos núcleos de pesquisa envolvidos com a preservação cultural de forma inter e transdisciplinar, respaldando as ações do recém criado Centro de Preservação Cultural – CPC – da UFC e destes com universidades, centros universitários e faculdades de Arquitetura e Urbanismo da cidade de Fortaleza e municípios do Ceará.
– Realizar reuniões e eventos periódicos como forma de acompanhamento das ações do Núcleo DOCOMOMO Ceará, incluindo a participação nas atividades e eventos organizados pelo DOCOMOMO Brasil e seus demais núcleos regionais.
Por fim, a Carta de Fortaleza – Direito à Arquitetura Moderna, é um manifesto em defesa da preservação da arquitetura moderna no Ceará, da sua memória e dos seus agentes, à luz de uma perspectiva crítica e propositiva do seu legado histórico, cultural e artístico.

Fortaleza, 01 de março de 2018.

Profa. Dra. Margarida Julia Sales Andrade – Coordenadora Núcleo DOCOMOMO Ceará
Profa. Dr. Beatriz Helena Nogueira Diógenes
Prof. Dr. Clovis Ramiro Jucá Neto
Prof. Dr. Ricardo Alexandre Paiva
Prof. Dr. Romeu Duarte Junior

Student workshop: Education to everybody – structures in Ljubjana. Prazo para inscrições se encerram em 24/04

 

 

 

 

 

 

Bezigrad Gymnasium. Foto divulgação

Por DOCOMOMO International e DOCOMOMO Eslovênia.

Aos estudantes e professores participantes do 15th International DOCOMOMO Conference: as inscrições para participação no workshop “educação para todos: estruturas em Ljubljana” se encerram no próximo dia 24/04. Para inscrições de grupos (onde o tutor registra um grupo de alunos para o workshop), pedimos aos tutores que preencham o formulário excel com todas as informações e enviem para registration@cd-cc.si. Observe que, para inscrições de grupos, a submissão de carta de motivação e currículos é feita anteriormente pelo tutor.

Maiores informações em: http://docomomo2018.si/index.php/student-workshop

Lançamento Anais IV Docomomo-Rio

Segue aqui anexado arquivo com os Anais do IV Seminário Docomomo Rio – O Moderno no Rio: do Risco ao Risco, realizado nesta cidade nos dia 31 de outubro e 1º de novembro de 2017.

O Moderno no Rio do Risco ao Risco

ORGANIZAÇÃO DOS ANAIS

Andréa de Lacerda Pessôa Borde
Maria Helena Röhe Salomon
Renato da Gama-Rosa Costa

ISBN 978-85-88027-42-8

TEMA
O MODERNO NO RIO: DO RISCO AO RISCO
É inegável o lugar que o Rio de Janeiro ocupa na historiografia da arquitetura e do urbanismo modernos do Brasil e da América Latina. O risco moderno é um elemento importante da configuração espacial de muitas cidades fluminenses. Temos tanto um patrimônio moderno reconhecido pelos órgãos de tutela e que recebem apoio
internacional para a sua conservação como exemplares notáveis que, mesmo tendo sua singularidade enaltecida nos estudos críticos, não logram este reconhecimento e/ou o apoio para sua gestão.
O que nos permite considerar que o risco moderno está em risco nos faz questionar:
. Qual o estado de conservação deste legado?
. Quais as ações implementadas para a sua preservação
(conservação e documentação)?
. E, sobretudo, qual o futuro do moderno no Rio?

EIXOS TEMÁTICOS

O RISCO MODERNO NO RIO – contempla estudos e reflexões críticas sobre arquitetura, urbanismo e paisagismo concebidos de acordo com os preceitos do Movimento Moderno. Volta-se, em especial, à documentação, recepção e difusão dessa produção e seus rebatimentos na formação do espaço urbano contemporâneo das cidades fluminenses.
Os artigos e painéis selecionados abrangem análises de: projetos arquitetônicos e urbanísticos destinados como habitações individuais e coletivas, aos espaços institucionais e de saúde e ensino, bem como sua difusão mundo afora; e de projetos e obras de arquitetos e urbanistas modernos radicados no Rio de Janeiro, compreendendo um período largo na história da cidade, da década de 1920 a anos mais recentes e destacando a participação feminina, como Carmen
Portinho e Lota de Macedo Soares, neste contexto.

O MODERNO EM RISCO NO RIO – contempla os estudos e reflexões críticas sobre o patrimônio moderno em risco no Rio de Janeiro e as ações promovidas para conservação e gestão desse patrimônio.
Os artigos e painéis selecionados contribuíram para a reflexão sobre a conservação da arquitetura moderna no Rio de Janeiro – edifícios residenciais, universitários, hospitais e instituições de saúde – submetida aos desafios do tempo e da manutenção de uso bem como alertaram para ações de salvaguarda necessárias à conservação dos bens modernos tendo em vista as mudanças climáticas em curso.