11 MARÇO, 2022

EVENTO ENCERRADO
https://www.even3.com.br/iforumcopam2022/

O evento que tem como tema a “Conservação do patrimônio moderno: tecnologias do concreto” possui como objetivo, enfocar e fortalecer a discussão sobre a necessidade em se conhecer as tecnologias construtivas do patrimônio arquitetônico moderno brasileiro, e procurar soluções para a sua conservação. Será o primeiro de uma série, voltado às tecnologias construtivas da modernidade.

Torna-se necessário nos dias atuais, refletir-se sobre uma política preservacionista mais voltada à conservação do acervo arquitetônico moderno, especificamente, direcionando à discussão sobre os conceitos de modernidade, tectônica e patologias das construções modernas. E para tanto, parte-se do princípio que é imprescindível, entender a arquitetura como construção, como já colocava o mestre Lúcio Costa – para se fortalecer a compreensão da importância da dimensão tectônica, enquanto adoção de sistemas construtivos, estruturas, peles, materiais, detalhes das obras – e a necessidade de se conservar tais elementos, para possibilitar a preservação do acervo moderno brasileiro.

Assim, o Fórum que tem uma abrangência nacional – em um primeiro momento de nosso evento, tratará de questões conceituais, onde terá uma discussão teórica sobre tectônica da arquitetura moderna, tratando dos precursores da dimensão construtiva da modernidade internacional, para em seguida, observar aspectos da construção da materialidade moderna no Brasil. Ainda nesta sequência, duas apresentações que enfocarão as patologias do concreto armado, observando-se nas suas técnicas construtivas distintas, as manifestações patológicas mais encontradas em obras nacionais.

Em um segundo momento, duas mesas estarão direcionadas aos estudos de casos, com experiências práticas ocorridas nas mais distintas cidades brasileiras, com aspectos diversos do ponto de vista cultural, social, climático, e econômico, mas, que possuem pontos convergentes nessa discussão. A primeira mesa trará experiências de propostas de conservação realizadas em Salvador (BA), Brasília (DF), São Paulo (SP) e em Recife (PE). Na segunda mesa, nossos convidados trarão casos ocorridos em Fortaleza (CE), Campina Grande (PB), Porto Alegre (RS), Amazonas (AM).

Espera-se com esse Fórum, dar-se início a um debate constante sobre a conservação das tecnologias empregadas em obras da modernidade arquitetônica brasileira, a fim de procurarmos boas soluções técnicas para as edificações poderem continuar como documentos construídos de nossa arquitetura e de nossa história. Como tenho colocado sempre: “documentar sempre, conservar já!”.

Alcilia Afonso
Coordenadora geral do Docomomo Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.